Para mais informações, contacte-nos
222 083 341 | teatro@marionetasdoporto.pt

LIÇÕES DE VOO | 2019 | m/3

Lições de voo é o nome de uma série de ilustrações de João Vaz de Carvalho, as quais serão usadas para a criação do espetáculo com o mesmo nome. Esta ideia dá sequência a uma experiência de colaboração realizada em 2013 em Pelos Cabelos, a qual se revelou muito estimulante.
Espetáculo para dois atores, com marionetas e semi marionetas, cujo conceito é o desejo de voo, o secreto desejo humano de realizar o irrealizável.
Poética recorrente no trabalho da encenadora, que tem percorrido e explorado esse território em formatos muito diversos. É também, pela experiência de cruzamento multidisciplinar que as marionetas tanto a inspiram e têm sido matéria central, capaz de responder às suas motivações criativas.
Lições de voo, é uma criação para maiores de 3 anos sobre a poética do ar, dos sonhos e do voo, num lugar especial onde cada um pode experimentar a leveza do corpo, a suspensão e a emoção de descolagem.
Lições de voo é a nossa viagem com o público até lá, onde todos somos pessoas/pássaros do vento.

download dossier

 

 


ARCANO | 2017 | m/16

O insólito universo de Franz Kafka, é em ARCANO explorado com toda a sua imagética soturna, conduzindo o espectador ao recôndito da mente humana, onde passeiam as sombras e as bestas kafkianas. É um espetáculo fragmentado, que através do espaço, do ator, da marioneta e da palavra, procura um equilíbrio entre a realidade e a alucinação, o orgânico e o mecânico, a metafísica e a necessidade de a solucionar.
“O animal arranca o chicote das mãos do dono e chicoteia-se a si mesmo, sem saber que isso é apenas uma fantasia produzida por um novo nó na correia.”
Franz Kafka

download dossier

 

 


COMO UM CARROSSEL | 2017 | m/3

O que é a vida?…é andar sempre à volta do sol, como um carrossel à volta do sol.
Como um Carrossel, conta a história de uma menina que vai crescendo numa espécie de viagem ao longo da qual muitas perguntas são lançadas e estimulam a sua relação com o mundo. O público viaja através do olhar aberto dessa menina e da forma espontânea como se relaciona com a vida.
Escrito e encenado por João Paulo Seara Cardoso (1956-2010) em 2006 para o Teatro de Marionetas do Porto, Como um Carrossel é uma nova criação com base no texto Como um Carrossel à Volta do Sol. Nesta nova versão, além de uma reescrita, foram incluídos momentos em Língua Gestual Portuguesa, num gesto de aproximação a mais pessoas.
Esta peça representa a caminhada pela vida, entre a alegria e a tristeza, o medo e a esperança, um texto que incentiva o voo imaginativo das crianças.
Isabel Barros

download dossier

 

 


NUNCA | 2016 | m/3

Mais de cem anos passaram depois das muito conhecidas aventuras na Terra do Nunca. Peter Pan vai viver para Londres com Wendy. Casam, têm filhos e os anos passam… Neste possível presente, existe um rapaz adolescente a quem os seus pais deram o nome de “Nunca” e nunca iremos saber o porquê…
Nunca, é descendente de Pan, mais precisamente seu bisneto. O seu destino é resgatar a Terra do Nunca daquela Era de trevas em que mergulhou logo após a partida de Peter. Desta vez o vilão é Capitão-Garfo, neto de Capitão-Gancho, que ocupou o seu lugar anos depois de seu avô ter sido devorado por um enorme crocodilo que raramente se atrasava.
Poderá Nunca com a ajuda de alguns insólitos companheiros, trazer de volta o equilíbrio de toda a magia à Terra do Nunca?

download dossier

 

 


KITSUNE | 2016 | m/12

Espetáculo integralmente sem texto.
A morte esquece-se no ritmo acelerado do dia a dia, no afastamento da natureza, principalmente nos grandes centros urbanos, oculta-se essa realidade tornando-a algo que, apesar de inevitável, parece poder ser constantemente adiada.
Nas grandes cidades morre-se cada vez mais só.
Da reflexão sobre a morte surge também e inevitavelmente uma reflexão sobre a vida, sobre o estar vivo e sobre o antigo ritual de encontro e aceitação da morte como parte do ciclo natural.
Este projeto pretende ser um elogio da vida, do reencontro com a simplicidade, do brincar, do amar, do prazer encontrado nas pequenas tarefas diárias, do recordar sem arrependimentos e de calma, mas também de resgatar a possibilidade de dizer adeus.
Olhar a morte nos olhos, servir-lhe uma sopa quente e dar-lhe a mão.

download dossier

 

 


BARBA AZUL | 2015 | m/3

Ao contrário do trágico conto infantil, esta abordagem, explora uma alternativa que se foca na complexa personalidade do Barba Azul.
Nesta versão, onde se misturam outras personagens do universo do autor Charles Perrault, Barba Azul, envolve-se numa trama carregada de acontecimentos cómicos e inesperados, que ainda assim refletem as vicissitudes do comportamento humano.

download dossier

 

 


PELOS CABELOS | 2013 | m/3

A partir das ilustrações Pelos Cabelos, de João Vaz de Carvalho, o Teatro de Marionetas do Porto cria um espetáculo habitado por personagens insólitas, de olhares ausentes e alucinados, onde o humor e o absurdo se fundem para mais uma experiência com muitas marionetas. Em Pelos Cabelos, atores e marionetas habitam um lugar algures, um Lá, lugar distante quase extra terreno.

download dossier

 

 


FRÁGIL | 2011 | m/3

Uma coisa às vezes não é aquilo que ela é.
Às vezes as coisas gostam de ser outras coisas, por exemplo de serem como as pessoas. Gostam de se mexer, de rir, de gostar e de não gostar.
As pessoas/coisas e as coisas/pessoas servem para contar histórias.
No mundo Frágil, há histórias pequenas e grandes. As coisas querem ser levadas para lugares que não conhecem, e fazem pequenas e grandes viagens.
No mundo Frágil, há pessoas/coisas que procuram coisas/pessoas. Há segredos que não se desvendam, ou que ficam para desvendar, há um universo aberto e fechado. Há coisas que saem de dentro de outras coisas.
No mundo Frágil as regras não são o que são, são regras de imaginação!

download dossier

 

 


WONDERLAND | 2009 | m/12

Wonderland é o sonho de Alice sonhado por nós. Vamos com ela, atravessamos a floresta luminosa cheia de medos e segredos, inventamos caminhos que antes lá não existiam e deixamos Alice perdida. Quando Alice pergunta ao Gato: “Como posso sair daqui?”, o Gato responde: “Isso depende muito do sítio para onde queres ir”. Aí sentimos que o sonho inventado por Carroll para a sua Alice amada toca ao de leve a nossa realidade. E quando Alice, no seu percurso iniciático, alcança o jardim maravilhoso de rosas brancas da rainha nós estalamos os dedos para que o seu sonho (e o nosso) acabe no momento certo. Final feliz?
Marco este dia com uma pedra branca (do diário de Lewis Carroll)

download dossier

 

 


CINDERELA | 2009 | m/3

Esta não é uma Cinderela tradicional. Há uma reescrita, um tanto ou quanto anacrónica, da história tradicional, a partir das versões de Perrault e Grimm. Personagens saídos de outros contos de fadas caem do céu para dificultar a vida a Cinderela. Há uma Bruxa-Má que detesta histórias com final feliz e um Lobo-Mau disfarçado de GNR a patrulhar as estradas da floresta. Os Sete Anões são chamados para salvar Cinderela de morte certa, na sua qualidade de especialistas em técnicas de salvamento de meninas envenenadas. A Fada-Madrinha é uma tia irascível e ajusta contas com a Bruxa-Má, num combate de wrestling. No final Cinderela casa mesmo com o príncipe e têm imensos filhinhos, para descanso de todos.

download dossier