2018 – Marionetas do Porto – 30 anos



FRÁGIL (m/3) | 10 a 14 de outubro
Teatro Carlos Alberto – inserido na programação do FIMP’18
Rua das Oliveiras, 43 Porto
quarta, quinta e sexta (público escolar) 10h00 e 15h00; sábado 19h00; domingo 16h00
+ Info – 223 401 910 | bilheteira@tnsj.pt

Uma coisa às vezes não é aquilo que ela é.
Às vezes as coisas gostam de ser outras coisas, por exemplo de serem como as pessoas. Gostam de se mexer, de rir, de gostar e de não gostar.
As pessoas/coisas e as coisas/pessoas servem para contar histórias.
No mundo Frágil, há histórias pequenas e grandes. As coisas querem ser levadas para lugares que não conhecem, e fazem pequenas e grandes viagens.
No mundo Frágil, há pessoas/coisas que procuram coisas/pessoas. Há segredos que não se desvendam, ou que ficam para desvendar, há um universo aberto e fechado. Há coisas que saem de dentro de outras coisas.
No mundo Frágil as regras não são o que são, são regras de imaginação!



QUEM SOU EU? (m/12) | 19 de outubro 21h00
Teatro Campo Alegre – inserido na programação do FIMP’18
Rua das Estrelas, Porto

Quem sou eu? é um projeto de criação, que surge da forte motivação para trabalhar com comunidades numa perspetiva de sensibilização artística e de inclusão social.
É um olhar sensível sobre a população tendo como conceito o autorretrato. É uma viagem às memórias à procura do belo que há em cada um.
Através desta criação percorremos as camadas de vida e as marcas do tempo que circula e que no seu movimento contínuo permite uma renovação, tantas vezes despercebida. Neste processo tentamos que os participantes tivessem a oportunidade de se aperceberem dessa magia do tempo, da riqueza que cada um tem em si e assim juntos celebramos as suas vidas, com tudo de belo e tocante que cada uma contém.
Isabel Barros

Quem sou eu?


NUNCA (m/3) | 17 a 25 de novembro
Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57 Porto
terça a sexta (público escolar) 10h30 e 15h00; sábado e domingo 16h00
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

Mais de cem anos passaram depois das muito conhecidas aventuras na Terra do Nunca. Peter Pan vai viver para Londres com Wendy. Casam, têm filhos e os anos passam… Neste possível presente, existe um rapaz adolescente a quem os seus pais deram o nome de “Nunca” e nunca iremos saber o porquê…
Nunca, é descendente de Pan, mais precisamente seu bisneto. O seu destino é resgatar a Terra do Nunca daquela Era de trevas em que mergulhou logo após a partida de Peter. Desta vez o vilão é Capitão-Garfo, neto de Capitão-Gancho, que ocupou o seu lugar anos depois de seu avô ter sido devorado por um enorme crocodilo que raramente se atrasava.
Poderá Nunca com a ajuda de alguns insólitos companheiros, trazer de volta o equilíbrio de toda a magia à Terra do Nunca?



CINDERELA (m/3) | 13 a 16 de dezembro
Teatro Municipal do Porto Campo Alegre
Rua das Estrelas, Porto
quinta – 15h00; sexta – 10h30 e 15h00 (sessões para público escolar)
sábado e domingo – 11h00
+ Info – 226 063 000 | bilheteira.tmp@cm-porto.pt

Esta não é uma Cinderela tradicional. Há uma reescrita, um tanto ou quanto anacrónica, da história tradicional, a partir das versões de Perrault e Grimm. Personagens saídos de outros contos de fadas caem do céu para dificultar a vida a Cinderela. Há uma Bruxa-Má que detesta histórias com final feliz e um Lobo-Mau disfarçado de GNR a patrulhar as estradas da floresta. Os Sete Anões são chamados para salvar Cinderela de morte certa, na sua qualidade de especialistas em técnicas de salvamento de meninas envenenadas. A Fada-Madrinha é uma tia irascível e ajusta contas com a Bruxa-Má, num combate de wrestling. No final Cinderela casa mesmo com o príncipe e têm imensos filhinhos, para descanso de todos.



MUSEU das MARIONETAS do PORTO
O Museu das Marionetas do Porto é um museu de autor, centrado na obra de João Paulo Seara Cardoso (1956-2010), encenador e diretor artístico do Teatro de Marionetas do Porto. Este é um espaço de memória e futuro, em permanente atualização, cujo projeto de arquitetura tem a assinatura de José Gigante, o mesmo arquiteto que em 1992 fez o projeto do Teatro de Belomonte, ainda em funcionamento e desde então, sede da companhia.
A abertura oficial do Museu (em 2013) assinalou os 25 anos da companhia. Instalado durante os primeiros três anos no edifício nr22 da Rua das Flores, passou a 29 de setembro de 2016 para o edifício contíguo à sede da companhia, na Rua de Belomonte.
Marionetas, adereços e outros objetos emblemáticos utilizados nos espetáculos da companhia, assim como algumas das suas histórias, são aqui expostos e partilhados.

Museu das Marionetas do Porto

Novas valências de acessibilidade no museu
Acessibilidade física
visita virtual ao piso -1 para pessoas com mobilidade reduzida
espaço de construção replicado no piso 0
Acessibilidade para surdos
vídeo-guia em Língua Gestual Portuguesa
(Laredo Associação Cultural)
vídeo-guia em Português e Inglês


Fincanciamento e Apoios


vídeos de divulgação realizados por Cristiana Teixeira e Sara Esteves (Estagiárias da Escola Soares dos Reis)