Pelos Cabelos

PT
A partir das ilustrações Pelos Cabelos, de João Vaz de Carvalho, o Teatro de Marionetas do Porto cria um espetáculo habitado por personagens insólitas, de olhares ausentes e alucinados, onde o humor e o absurdo se fundem para mais uma experiência com muitas marionetas. Em Pelos Cabelos, atores e marionetas habitam um lugar algures, um Lá, lugar distante quase extra terreno.


EN
Inspired by the illustrations of João Vaz de Carvalho named Pelos Cabelos (Hair Hairs), Teatro de Marionetas do Porto has created a performance inhabited by unusual characters with an absent-minded and hallucinated gaze. Humor and the absurd merge in this performance, providing us with yet another experience where marionettes abound. In Pelos Cabelos (Hair Hairs), performers and marionettes are inhabitants of a place located somewhere; an “Out There”, a distant, almost extraterrestrial place.

  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos
  • Pelos Cabelos

Pelos Cabelos
Encenação e cenografia
Isabel Barros

Textos
Edgard Fernandes, Isabel Barros e Rui Queiroz de Matos

Marionetas
Sandra Neves, a partir das ilustrações de João Vaz de Carvalho

Música e Animação
coletivo HUSMA (João Apolinário, Nuno Cortez e Pedro Cardoso)

Desenho de luz
Alexandre Vieira

Interpretação
Rui Queiroz de Matos e Vitor Gomes

Produção
Sofia Carvalho

Operação de luz e som
Cláudia Valente

Construção de marionetas
Sandra Neves (coordenação), Nuno Guedes, Teresa Dantas e Rita Silva (estagiária)

Construção cenográfica
Américo Castanheira, Tudo-Faço

Agradecimentos
Ensemble, Escovaria de Belomonte

Fotografia de cena
Susana Neves

Palco
5.5m – boca de cena min. / 5.5m – profundidade min. / 3.5m – altura min.

Cena negra – panejamento à italiana

Chão preto ou linóleo preto

Luz
Dimmers digitais – 30 circuitos – Prot. Com. DMX512
Mesa de luz ETC Express 24/48 (mat. da companhia)
Varas de luz
2x torres com 1.50m
Filtros de luz (mat. da companhia)

Projetores
12x Fresnel 650w com palas e porta filtros
18x Recortes 1000w 14/35 com porta filtros
2x iris para Recortes

Som
1 monitor colocado no palco

Sistema de PA adequado ao espaço
Mesa de som mín. 2 canais de linha

Vídeo:
1 ecrã Led 32″ HD (mat. da companhia)
Computador portátil (mat. da companhia)
Ligação palco/régie por cabo S-vídeo ou HDMI

Bastidores
3 Camarins individuais ou 1 coletivo

Montagem
10 horas

Staff necessário
2 pessoas para descarga e carga
Técnico de luz
Técnico de som
Técnico de vídeo
Técnico de palco

Plano de Trabalho

1º Turno4 horas
Montagem:
Cenografia, Cena negra; Luz

2º Turno4 horas
Afinação:
Cena negra; Luz; Som

3º Turno 2 horas
Ensaio Geral:
Luz; Som

Notas: Para iniciar a montagem o palco e a teia devem estar limpos e sem quaisquer equipamentos.

Duração do espetáculo: 40 minutos

Classificação etária: maiores de 4 anos

Menções obrigatórias em todo o material promocional do espetáculo:
Companhia subsidiada por MC/DGArtes (com inserção de logotipos)

LUGAR DE FIOS E DEDOS

João Vaz de Carvalho desenhou e o Teatro de Marionetas do Porto (TMP) leva à cena. Em Pelos Cabelos, há figuras insólitas, de olhares ausentes e alucinados. Atores e fios a dar movimento e alma às marionetas, numa peça onde humor e absurdo se fundem, para uma experiência mágica com bonecos. Um espetáculo pensado para miúdos, mas a que os adultos vão querer assistir. Só assim poderão conhecer um lugar algures, um “lá” distante, um universo à parte, no qual há histórias de cabelos que crescem sem nunca serem cortados para criar laços e inúmeras ligações.

Susana Silva Oliveira
in Visão – Sete Norte, 21 de novembro de 2013


“PELOS CABELOS” EM BONECOS VIVOS ESTREIA HOJE… LÁ

Proposta do Teatro de Marionetas do Porto tem origem nas ilustrações de João Vaz de Carvalho

Lá é onde tudo se costuma passar, exceto pentear. Em Lá, cães e foguetões há e comboios não se sabe se haverá. E morar, quem mora Lá? Para tantas dúvidas, só uma solução há: passar no pequeno auditório da Rua de Belomonte e assistir à peça “Pelos Cabelos”. É a nova produção do Teatro de Marionetas do Porto e estreia hoje, às 11 horas.

Sabemos que Lá vivem o Casal Pincel, a Mulher Pilar, a Sra. Chuva, o cão I Love You, o Sr. Cotão ou o Sr. Moustache. Personagens que nasceram na série de ilustrações “Pelos Cabelos”, de João Vaz de Carvalho, mas que só agora têm nomes, na adaptação para teatro com textos de Isabel Barros e também dos dois intérpretes, Edgard Fernandes e Rui Queiroz de Matos.

É a segunda vez que o Teatro de Marionetas do Porto trabalha sobre as criações deste ilustrador, mas a abordagem é diferente. Em “Cinderela”, espetáculo de 2009, os desenhos nasceram depois da história, ao passo que as ilustrações de “pelos Cabelos” já existiam antes do texto e algumas até estiveram expostas no museu da companhia, inaugurado em fevereiro.

Mas voltemos Lá. Ao longo de 45 minutos, os espetadores vão deparar-se com uma história sem fio condutor, passada num espaço que não é nada. Ou pode ser tudo: uma praia, um deserto, um campo, uma aldeia e sabe-se lá que outras paragens. Isabel Barros, que assina encenação e cenografia, justifica: “As imagens de João Vaz de Carvalho sempre sugeriram que vinham aterrar no nada”. Por isso, o espaço não é definido, “é um lugar sem limites e sem fronteira”, refere.

Também pode ser “o lugar dos sonhos”, acrescenta a responsável pela companhia, sublinhando que as personagens vivem numa espécie de solidão, mas “uma solidão boa, cheia”. As poucas palavras que se ouvem ao longo do espetáculo são deixadas no ar, como as nuvens cabeludas que estão sempre a aparecer entre figuras insólitas e agradavelmente toscas.

Isabel Peixoto
in Jornal de Notícias, 23 de novembro de 2013


download dossier     download dossier

 

Share this Project

Marionetas do PortoPelos Cabelos