2018 – Marionetas do Porto – 30 anos



FAUSTO (m/12) | 25 de janeiro a 4 de fevereiro
Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57 Porto
quinta, sexta e sábado 21h30; domingo 16h00
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

Fausto é o protagonista de uma lenda popular alemã, de um pacto com o demónio. Fausto é um poema de proporções épicas, que relata a tragédia do Dr. Fausto, homem das ciências que, desiludido com o conhecimento do seu tempo, faz um pacto com o demónio Mefistófeles, que o enche com a energia satânica repleta da paixão, pela técnica e pelo progresso. Nesta adaptação há um encontro do clássico com a contemporaneidade onde a época é intemporal.
Este projeto surge da vontade de Roberto Merino em homenagear João Paulo Seara Cardoso (1956-2010), fundador do Teatro de Marionetas do Porto. Desta forma, o Teatro de Marionetas do Porto celebrou também os 40 anos de atividade teatral em Portugal deste criador chileno, radicado na cidade do Porto.
Este espetáculo foi possível graças aos apoios recebidos através de uma campanha de crowdfunding realizada em 2014/15.



KITSUNE (m/12) | 23 e 24 de fevereiro
Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery
Av. Serpa Pinto, 242 Matosinhos
sexta e sábado 21h30
+ Info – 229 392 320

Espetáculo integralmente sem texto.
A morte esquece-se no ritmo acelerado do dia a dia, no afastamento da natureza, principalmente nos grandes centros urbanos, oculta-se essa realidade tornando-a algo que, apesar de inevitável, parece poder ser constantemente adiada.
Nas grandes cidades morre-se cada vez mais só.
Da reflexão sobre a morte surge também e inevitavelmente uma reflexão sobre a vida, sobre o estar vivo e sobre o antigo ritual de encontro e aceitação da morte como parte do ciclo natural.
Este projeto pretende ser um elogio da vida, do reencontro com a simplicidade, do brincar, do amar, do prazer encontrado nas pequenas tarefas diárias, do recordar sem arrependimentos e de calma, mas também de resgatar a possibilidade de dizer adeus.
Olhar a morte nos olhos, servir-lhe uma sopa quente e dar-lhe a mão.



ÓSCAR (m/3) | 7 a 11 de março
Teatro Carlos Alberto
Rua das Oliveiras, 43 Porto
quarta, quinta e sexta (público escolar): 10h00 e 15h00; sábado 19h00; domingo 16h00
+ Info – 223 401 910 | bilheteira@tnsj.pt

Óscar é um menino.
Óscar tem um jardim, o seu lugar de brincadeira preferido. No jardim constrói os seus mundos imaginários. Relaciona-se com os animais, as plantas e o Jardineiro Joaquim.
Os amigos do Óscar são: o Porco Cambalhota que um dia cambalhotou até à lua, o Ouriço Ribeiro e a sua fábrica de compota de maçã, a Vaca Radical que bebe a água da chuva, a Laranjeira que só dá laranjas amanhã, o Capitão Iglo que, um dia, encalhou numa poça de água do jardim, as Flores que mudam sempre de lugar, o Gigante que tem um carrocel dentro da cabeça, a Galinha Chocapic que choca um ovo que não é novo e todos os bichos, bicharocos e plantas de jardim.
O espetáculo estrutura-se ao longo das quatro estações. O jardim vai-se vestindo de diversas roupagens. As histórias, a música, as cores, as palavras, os cheiros vão tomando a forma das sensações que caracterizam o jardim durante as diferentes fases do ano.
Chega o inverno. Óscar vê o jardim da janela de sua casa. Quando não chove, brinca com as poças de água. O inverno chega ao fim. A vida renasce de novo no jardim, as luzes de cena apagam…



Leituras Encenadas BICHOS DO BOSQUE (m/3) | 21 a 24 de março
Quinta de Bonjóia (21 de março – Dia Mundial da Marioneta)
Rua de Bonjóia, 484 Porto
quarta, quinta e sexta (público escolar) 10h30 e 15h00; sábado 16h00
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

No bosque há, sei lá, mil árvores talvez.
E o vento nas folhas, de cá para lá a soprar,
parece sussurrar, era uma vez…
… uns bichos que falavam bichanês:
havia um crocodilo de coração mole
e um caracol-medidor;
havia um esquilo e também um grilo
e um castor que se fosse gente era doutor
e mais um corvo a armar ao cantor
e um anão com má disposição
e ainda o Teixeira, um texugo à maneira,
mais o urso grande e o seu filhote,
um ratito campeão de trotinete
e uma lagartona muito coquete.
Bichos do bosque são como nós,
são menos ou mais iguais;
dizem como nós dizemos “Olá, como vais?”
Parece que não mas têm idade, têm coração
sentem saudade, têm memória, são personagens
de uma história parecida com a vida.
Bichos do Bosque


ARCANO (m/16) | 6 e 7 de abril
Teatro Municipal do Porto Campo Alegre
Rua das Estrelas, Porto
sexta e sábado 21h30
+ Info – 22 606 30 00 | bilheteira.tmp@cm-porto.pt

O insólito universo de Franz Kafka, é em ARCANO explorado com toda a sua imagética soturna, conduzindo o espetador ao recôndito da mente humana, onde passeiam as sombras e as bestas kafkianas. É um espetáculo fragmentado, que através do espaço, do ator, da marioneta e da palavra, procura um equilíbrio entre a realidade e a alucinação, o orgânico e o mecânico, a metafisica e a necessidade de a solucionar.
“O animal arranca o chicote das mãos do dono e chicoteia-se a si mesmo, sem saber que isso é apenas uma fantasia produzida por um novo nó na correia.” Franz Kafka



COMO UM CARROSSEL (m/3) | 11 a 13 de maio
Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery
Av. Serpa Pinto, 242 Matosinhos
sexta (público escolar) 10h30 e 15h00; sábado 15h00; domingo 11h00
+ Info – 229 392 320

O que é a vida?… é andar sempre à volta do sol, como um carrossel à volta do sol.
Como um Carrossel, conta a história de uma menina que vai crescendo numa espécie de viagem ao longo da qual muitas perguntas são lançadas e estimulam a sua relação com o mundo. O público viaja através do olhar aberto dessa menina e da forma espontânea como se relaciona com a vida.
Escrito e encenado por João Paulo Seara Cardoso (1956-2010) em 2006 para o Teatro de Marionetas do Porto, Como um Carrossel é uma nova criação com base no texto Como um Carrossel à Volta do Sol. Nesta nova versão, além de uma reescrita, foram incluídos momentos em Língua Gestual Portuguesa, num gesto de aproximação a mais pessoas.
Esta peça representa a caminhada pela vida, entre a alegria e a tristeza, o medo e a esperança, um texto que incentiva o voo imaginativo das crianças.



BARBA AZUL (m/6) | 6 a 10 de junho
Estúdio 400 – Nevogilde
Rua de Sá de Albergaria, 30 Porto
quarta, quinta e sexta (público escolar) 10h30 e 15h30; sábado e domingo 15h30
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

Ao contrário do trágico conto infantil, esta abordagem, explora uma alternativa que se foca na complexa personalidade do Barba Azul.
Nesta versão, onde se misturam outras personagens do universo do autor Charles Perrault, Barba Azul, envolve-se numa trama carregada de acontecimentos cómicos e inesperados, que ainda assim refletem as vicissitudes do comportamento humano.



PELOS CABELOS (m/3) | 1 a 8 de julho
Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57 Porto
terça a sexta (público escolar) 10h30 e 15h00; sábado e domingo 16h00
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

A partir das ilustrações Pelos Cabelos, de João Vaz de Carvalho, o Teatro de Marionetas do Porto cria um espetáculo habitado por personagens insólitas, de olhares ausentes e alucinados, onde o humor e o absurdo se fundem para mais uma experiência com muitas marionetas. Em Pelos Cabelos, atores e marionetas habitam um lugar algures, um Lá, lugar distante quase extra terreno.



OS 3 PORQUINHOS (m/16) | 17 a 26 de agosto
Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57 Porto
quinta a domingo 19h00
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

Quando, em 1843, J. O. Halliwell publicou pela primeira vez a história de “Os Três Porquinhos”, estaria longe de imaginar as voltas que o mundo iria dar.
O certo é que os três porquinhos e o malvado lobo embalaram na vertigem do tempo e chegaram até nós, habitantes da aldeia global.
Onde estão, como sobrevivem, como se adaptaram os nossos porcos metafóricos aos tempos pós-modernistas?
Qual é a moral da história? (…)
No que respeita à moral da história, isso não é o mais importante. O importante não é quem come quem, o importante mesmo é não nos deixarmos ser comidos.
Porque a vida é bela e o céu é azul.
Stephan Harrel



WONDERLAND (m/12) | 21 e 22 de setembro
Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery
Av. Serpa Pinto, 242 Matosinhos
sexta e sábado 21h30
+ Info – 229 392 320

Wonderland é o sonho de Alice sonhado por nós. Vamos com ela, atravessamos a floresta luminosa cheia de medos e segredos, inventamos caminhos que antes lá não existiam e deixamos Alice perdida. Quando Alice pergunta ao Gato: “Como posso sair daqui?”, o Gato responde: “Isso depende muito do sítio para onde queres ir”. Aí sentimos que o sonho inventado por Carroll para a sua Alice amada toca ao de leve a nossa realidade. E quando Alice, no seu percurso iniciático, alcança o jardim maravilhoso de rosas brancas da rainha nós estalamos os dedos para que o seu sonho (e o nosso) acabe no momento certo. Final feliz?
Marco este dia com uma pedra branca (do diário de Lewis Carroll)



FRÁGIL (m/3) | 10 a 14 de outubro
Teatro Carlos Alberto – inserido na programação do FIMP’18
Rua das Oliveiras, 43 Porto
quarta, quinta e sexta (público escolar) 10h00 e 15h00; sábado 19h00; domingo 16h00
+ Info – 223 401 910 | bilheteira@tnsj.pt

Uma coisa às vezes não é aquilo que ela é.
Às vezes as coisas gostam de ser outras coisas, por exemplo de serem como as pessoas. Gostam de se mexer, de rir, de gostar e de não gostar.
As pessoas/coisas e as coisas/pessoas servem para contar histórias.
No mundo Frágil, há histórias pequenas e grandes. As coisas querem ser levadas para lugares que não conhecem, e fazem pequenas e grandes viagens.
No mundo Frágil, há pessoas/coisas que procuram coisas/pessoas. Há segredos que não se desvendam, ou que ficam para desvendar, há um universo aberto e fechado. Há coisas que saem de dentro de outras coisas.
No mundo Frágil as regras não são o que são, são regras de imaginação!



QUEM SOU EU? (m/12) | 20 e 21 de outubro
Teatro Campo Alegre – inserido na programação do FIMP’18
Rua das Estrelas, Porto

Quem sou eu? é um projeto de criação artística, a partir da ideia de autorretrato, com interpretação dos atores das Marionetas do Porto e 25 pessoas maiores de 65 anos. Este projeto representa um olhar sensível sobre a população de Campanhã, da qual fazem parte o grupo de participantes.

Quem sou eu?


NUNCA (m/3) | 17 a 25 de novembro
Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57 Porto
terça a sexta (público escolar) 10h30 e 15h00; sábado e domingo 16h00
+ Info – 222 089 175 | teatro@marionetasdoporto.pt

Mais de cem anos passaram depois das muito conhecidas aventuras na Terra do Nunca. Peter Pan vai viver para Londres com Wendy. Casam, têm filhos e os anos passam… Neste possível presente, existe um rapaz adolescente a quem os seus pais deram o nome de “Nunca” e nunca iremos saber o porquê…
Nunca, é descendente de Pan, mais precisamente seu bisneto. O seu destino é resgatar a Terra do Nunca daquela Era de trevas em que mergulhou logo após a partida de Peter. Desta vez o vilão é Capitão-Garfo, neto de Capitão-Gancho, que ocupou o seu lugar anos depois de seu avô ter sido devorado por um enorme crocodilo que raramente se atrasava.
Poderá Nunca com a ajuda de alguns insólitos companheiros, trazer de volta o equilíbrio de toda a magia à Terra do Nunca?



CINDERELA (m/3) | 13 a 15 de dezembro
Teatro Municipal do Porto Campo Alegre
Rua das Estrelas, Porto
quinta e sexta (público escolar) 10h30 e 15h00; sábado 16h00
+ Info – 226 063 000 | bilheteira.tmp@cm-porto.pt

Esta não é uma Cinderela tradicional. Há uma reescrita, um tanto ou quanto anacrónica, da história tradicional, a partir das versões de Perrault e Grimm. Personagens saídos de outros contos de fadas caem do céu para dificultar a vida a Cinderela. Há uma Bruxa-Má que detesta histórias com final feliz e um Lobo-Mau disfarçado de GNR a patrulhar as estradas da floresta. Os Sete Anões são chamados para salvar Cinderela de morte certa, na sua qualidade de especialistas em técnicas de salvamento de meninas envenenadas. A Fada-Madrinha é uma tia irascível e ajusta contas com a Bruxa-Má, num combate de wrestling. No final Cinderela casa mesmo com o príncipe e têm imensos filhinhos, para descanso de todos.



MUSEU das MARIONETAS do PORTO
O Museu das Marionetas do Porto é um museu de autor, centrado na obra de João Paulo Seara Cardoso (1956-2010), encenador e diretor artístico do Teatro de Marionetas do Porto. Este é um espaço de memória e futuro, em permanente atualização, cujo projeto de arquitetura tem a assinatura de José Gigante, o mesmo arquiteto que em 1992 fez o projeto do Teatro de Belomonte, ainda em funcionamento e desde então, sede da companhia.
A abertura oficial do Museu (em 2013) assinalou os 25 anos da companhia. Instalado durante os primeiros três anos no edifício nr22 da Rua das Flores, passou a 29 de setembro de 2016 para o edifício contíguo à sede da companhia, na Rua de Belomonte.
Marionetas, adereços e outros objetos emblemáticos utilizados nos espetáculos da companhia, assim como algumas das suas histórias, são aqui expostos e partilhados.

Museu das Marionetas do Porto

Novas valências de acessibilidade no museu
Acessibilidade física
visita virtual ao piso -1 para pessoas com mobilidade reduzida
espaço de construção replicado no piso 0
Acessibilidade para surdos
vídeo-guia em Língua Gestual Portuguesa
(Laredo Associação Cultural)
vídeo-guia em Português e Inglês


Fincanciamento e Apoios


vídeos de divulgação realizados por Cristiana Teixeira e Sara Esteves (Estagiárias da Escola Soares dos Reis)


Pedro Ramos2018 – Marionetas do Porto – 30 anos